Em Cacoal, Justiça manda exonerar secretário ficha suja; na capital, ficha suja está há 28 dias nomeado na Funcultural

CACOAL – Enquanto em Cacoal, o diligente Ministério Público e a Justiça já atuaram para que o prefeito Adaílton Fúria exonerasse um secretário que foi nomeado mesmo tendo contra si condenação transitada em julgado e  trabalha em outro caso em que o secretário escolhido para a Agricultura é condenado por improbidade administrativa, nenhum órgão de controle de Porto Velho ainda se manifestou sobre a nomeação feita pelo prefeito Hildon Chaves de um aliado ficha suja para assumir a Fundação cultural de Porto Velho, o ex-vereador Márcio Miranda, que não conseguiu certidão para concorrer à reeleição para é ficha suja na Justiça Eleitoral.

A pergunta que fica no ar é a seguinte: se a Lei não o habilita a concorrer a um cargo eletivo que nem é ordenador de despesa, essa mesma pessoa pode ser nomeada por um decreto para ser gestor de um orçamento de quase 10 milhões de reais ao ano?

Há 28 dias, o ex-promotor de Justiça e ex-fiscal da aplicação da Lei que migrou para a política mantém um ficha suja nomeado em sua administração, sem ser sequer admoestado por isso.

Certamente, depois da denúncia veiculada pelos sites www.rondonotícias.com.br e este expressaorondonia.com.br órgãos como a diligente Promotoria da Improbidade Administrativa do Ministério Público, Tribunal de Contas, Promotoria Eleitoral e até mesmo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) uma espécie de mão do projeto da Lei da Ficha Limpa em Rondônia deverá estar estudando o caso para se manifestar.

Lá em Cacoal, os órgãos de controle estão atentos e agindo rápido. Assim, o recém-empossado Fúria começa seu governo enfrentando dificuldades, não só com o aumento assustador de casos da covid-19 em sua cidade. Ele foi surpreendido, menos de um mês de compor seu secretariado, que teria que demitir seu secretário de trânsito, por exigência do Ministério Público.

O que mais preocupou foi o motivo: o novo secretário Paulo Diniz, tinha contra si uma condenação, por ter sido flagrado dirigindo embriagado e com uma arma. Isso mesmo! Sem saber da condenação, porque Paulo César é servidor municipal e, portanto, não precisa apresentar negativas para assumir algum posto, Fúria o nomeou para a Secretaria de Trânsito, exatamente a área responsável, inclusive, pelas campanhas de prevenção de acidentes e contra a embriaguez ao volante.

Prefeito Adaílton Fúriia age rápido e exonera do cargo assessor condenado pela Justiça

Logo que teve informações sobre o assunto e com a história confirmada pelo próprio agora ex-secretário (que disse que o Prefeito nada sabia sobre a condenação), Fúria exonerou seu assessor e um dos importantes nomes da sua nova equipe.

Em outro caso, a oposição entrou na Justiça contra a nomeação do secretário municipal de Agricultura, Alcides Zacarias Sobrinho, que foi condenado pelo Tribunal de Contas por improbidade administrativa na sua gestão frente a prefeitura de Castanheiras

Uma ação popular protocolada na Justiça no dia 6 deste mês pede a exoneração do secretário municipal de Agricultura Alcides Zacarias Sobrinho, que foi empossado no cargo em 1º de janeiro pelo prefeito Adailton Fúria.

Como em Porto Velho, o prefeito reeleito Hildon Chaves cooptou os seus principais opositores na corrida sucessória, só restará aos órgãos de controle tomar a iniciativa de se manifestar se a nomeação de Márcio Miranda é legal ou ilegal.

www.expressaorondonia.com.br

Imprimir

GOSTARÍAMOS DE OUVIR SUA OPINIÃO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui