Em tempo de coronavírus, ex-vereadora acusa prefeito e secretário de obrigar servidores idosos a trabalharem em posto de saúde em Vilhena

Prefeito de Vilhena, Eduardo Japonês e Secretário de Saúde, Afonso Emerick

A ex-vereadora Neide Ikino usou as redes sociais para fazer uma grave denúncia: decreto assinado pelo prefeito Eduardo Japonês Tsuru, com anuência do secretário municipal de saúde, Afonso Emerick Dutra, estraria obrigando servidores municipais, considerados idosos, a trabalharem nos postos de saúde do município de Vilhena.

Para ela, em tempo de prevenção contra o letal coronavírus, isto representa um risco à saúde do grupo, por estarem dentro da categoria de risco à doença.

Para ela, a convocação desses servidores só pode agravar a situação em Vilhena, que já apresenta 9 casos suspeitos de coronavírus, conforme boletim divulgado pela Agevisa na noite desta segunda-feira, 23.

Neide, que é servidora efetiva do setor de saúde, concordou com a “convocação”, mas decidiu por ficar na quarentena.

“Esse tipo de coisa que vem favorecer a disseminação ainda mais rápida da doença, pois o vírus tem predileção por idosos .. HOJE FUI CHAMADA A IR PARA UBS , pela diretora da UBS, a mando de alguém claro !!! cabe a cada um decidir pela sua vida . Eu jah decidi . Continuarei em quarentena até o ministro da saúde liberar .. DE MIM NINGUÉM CONTRAI A DOENÇA. E NÃO VOU CONTRAIR DE NINGUÉM”, disse através de postagem no facebook.

De acordo com ela, o ministério da saúde e o Estado de Rondônia emitiram decretos, tendo como requisitos prioritários o afastamento de servidores idosos, pelo fato do vírus ter predileção e causar doença grave a este grupo, levando até a morte.

Neide chamou a atenção do Comitê Gestor Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus e questionou vários vereadores de Vilhena quanto ao decreto.

“Uma decisão dessa é razoável? O que vocês acham disso, ilustres vereadores?”, questionou.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA