Covid-19: desembargadores da 2ª Câmara Cível do TJRO prestam moção à população de Guajará

Ao final da sessão de julgamento processual, na manhã dessa quarta feira, 20, a 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Rondônia, presidida pelo desembargador Alexandre Miguel, prestou uma moção de solidariedade à população do Município de Guajará-Mirim, que sofre com a Covid-19; assim como uma homenagem aos enfermeiros, que estão na linha de frente, junto aos pacientes, contra o coronavírus.

Guajará-Mirim

Na moção, o desembargador Hiram Marques pede que “as autoridades olhem com mais cautela e atenção à população sofrida do Município de Guajará-Mirim”. Segundo o desembargador Hiram, Guajará “é um município que representa a sociedade tradicional do nosso Estado (Rondônia), ali que tudo começou, mas, lamentavelmente, vem passando por momento terrível, com índice extremo de vítimas da Covid-19″.

Colocando-se no lugar do outro, o desembargador acrescentou: – “gostaria de me compadecer e solidarizar com a dor e sofrimento dos moradores que estão ali”. Ainda na fala do desembargador, a população da Pérola do Mamoré, geograficamente, está distante da Administração, assim, politicamente, ainda mais longe e esquecida.

Já o desembargador Marcos Alaor falou que o Município Guajará-Mirim é mais antigo do que veio a ser o Estado de Rondônia. “Não existia Porto Velho, tanto que a 1ª Zona Eleitoral foi e continua sendo em Guajará-Mirim”. O referido município era anexado ao Estado de Mato Grosso. Complementando, o desembargador Hiram se manifestou dizendo que “até hoje a população se mantém fiel às tradições, e é o único município que se identifica com a população pioneira”.

Enfermeiros

O desembargador Isaias Fonseca prestou homenagem aos enfermeiros do Brasil e do mundo. Segundo o desembargador, enfermeiros são profissionais que estão na linha de frente até mais que os médicos, uma vez que são eles que cuidam dos brasileiros e demais pessoas em todo planeta Terra. “Os enfermeiros estão correndo todo tipo de riscos e muitos já perderam a vida por causa desta pandemia”, lamentou.

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação TJ-RO

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA