Vereador pede impugnação de licitação em Rolim de Moura

O prefeito Luis Ademir Schok, o Luizão do Trento, mais uma vez enfrenta constrangimentos.

 

 

 

 

 

 

 

Frequentemente o prefeito de Rolim de Moura, Luiz Ademir Schok, o Luizão do Trento, se vê em constrangimentos judiciais e administrativos, já enfrentou por afastamentos e a cidade teve até mesmo uma nova eleição convocada. Continua como prefeito graças a liminares e agora está, de novo, nos noticiários por conta de ações desastradas.
A prefeitura de Rolim de Moura pretende realizar amanhã, dia 12 de fevereiro, licitação na modalidade “pregão eletrônico” para contratação de uma empresa especializada em serviços de limpeza, manutenção, reparos e conservação de bens imóveis, logradouros e vias públicas no município e no distrito de Nova Estrela. O valor do contrato será de r$ 1.929.221,76, válido até o final desse ano, quando termina também o conturbado mandato de Luizão do Trento.
O vereador Renato César Morari, o delegado Morari, tenta conter a impetuosidade do prefeito, encaminhando ao Pregoeiro Municipal Tiaggo Anderson Sant’Ana Silva pedido de impugnação do processo licitatório, que deverá ser analisado pela Comissão Permanente de Licitação e também pelo Tribunal de Contas. O vereador mostra, em seu pedido, diversas evidências de irregularidades, como ausência da planilha de custos, em contrariedade ao que expõe a Lei de Licitações, onde se especifica que serviços só podem ser contratados quando existir “orçamento detalhado em planilhas que expressem a composição de todos os custos unitários.”
No caso em questão Morari aponta também que o edital cita que os preços foram baseados na “média de mercado”, mas não mostra nenhum documento que comprove estudos ou pesquisas nesse sentido, além de não se exigir qualificação técnica de empresas participantes e, portanto, da eventual vencedora.
A grosso modo, o que Luizão do Trento pretende é contratar, ao custo de quase dois milhões de reais, uma empresa para fazer limpeza em prédios públicos, desconsiderando que já existem servidores concursados e contratados para tal finalidade e que, sem atividade, poderiam ficar em “desvio de função”. Observa-se ainda que por ser extremamente vago no quesito de qualificações e de serviços a serem prestados, a fiscalização do contrato estaria já de inicio comprometida.
Além dessa iniciativa, o prefeito Luizão do Trento também trava uma verdadeira “queda de braço” com a Câmara de Vereadores, tentando conseguir autorização para contrair um empréstimo de cerca de 14 milhões de reais. Parte desse dinheiro seria destinado a construção de uma usina fotovoltaica e o restante ficaria disponível para despesas não especificadas. Se conseguir, Luizão finda seu “enrolado” mandato deixando o município de Rolim de Moura endividado.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA