Jogador que fez o filme “Pelé, o nascimento de uma lenda” jogará no Vilhenense em 2020

Kevin em dia de treino pelo Tigres – Foto: Roberto Moreyra/Agência O Globo

O meio de campo e volante Kevin de Paula Rosa, de 25 anos, mais conhecido como “Pelezinho” será o mais novo contratado a atuar no Vilhenense Esportivo Clube, em 2020.

Kevin de Paula ficou mundialmente conhecido ao interpretar o Rei do Futebol em “Pelé, o nascimento de uma lenda”, filme que contou a história do ex-jogador “Pelé” da infância até a primeira vitória do Brasil na Copa de 1958.

Nascido em Duque de Caxias (RJ), Kevin tem passagens pelo Tigres Brasil e também pelo São José, e agora jogará pelo Vilhenense em 2020. Segundo a assessoria dele, ele está saindo de São Paulo para Rondônia junto com a equipe Sub-20 que disputou a Copa São Paulo Júnior.

Participação no Filme do Pelé

Pelé com Leonardo, que vive sua fase de menino, e Kevin de Paula (Foto: Divulgação / Seine Pictures)

Aos 18 anos, Kevin de Paula foi o escolhido para viver o Rei do Futebol em “Pelé, birth of the legend” (“Pelé, o nascimento de uma lenda”), filme que contou a história do ex-jogador da infância até a primeira vitória do Brasil na Copa de 1958.

– Todo mundo sonha ser Pelé, eu fui (risos). Claro que conhecia a história dele, também gosto do Santos. Foi uma experiência boa, gostei bastante. No começo, achei meio estranho, não estava acostumado a atuar. No fim, gostei – afirmou Kevin, em entrevista ao Globoesporte em 2014.

Na película, o jogador viveu Pelé dos 13 aos 17 anos. Kevin encontrou o ex-camisa 10 em um set de filmagem, em Petrópolis, e ouviu um elogio que nada ter a ver com o campo e bola:

– Encontrei com ele, que falou que pequeno não era tão bonitinho (risos).

Mais de 400 reprovados em testes para o filme

Para a produção do filme, encontrar o Pelé mais novo foi complicado. Mais de 400 garotos – entre 14 e 21 anos – fizeram testes. Nenhum foi aprovado. Agências nos Estados Unidos, Europa e África entraram em campo para ajudar na busca. Além de ter traços físicos semelhantes com Edson Arantes do Nascimento em começo de carreira, eram necessários outros pré-requisitos: falar a língua portuguesa, ter inglês básico e alguma habilidade no futebol. A produtora chegou a oferecer mil dólares para quem indicasse alguém com essas características.

Kevin de Paula contou com o fator sorte. A produção do filme fez um registro fotográfico do estádio do Tigres, em Xerém, distrito de Duque de Caxias, que seria usado como locação. O jogador, que treinava no local, apareceu sem querer na imagem. O diretor norte-americano Jeff Zimbalist (de “Favela Rising” e “The Two Escobars”), então, escolheu o seu protagonista, que teve que driblar o idioma e repetir lances e cenas à exaustão. O longa é todo em inglês.

– Dei uma quebrada no inglês, e que quebrada. Mas consegui dar uma enrolada – brincou Kevin, que teve ajuda de uma professora para conseguir se desenrolar com a língua.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA